Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

No último final de semana foram celebradas duas datas importantes, o Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência e o Dia do Atleta Paralímpico. Por ocasião destas datas o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) realizou no último sábado (21) atividades de experimentação da prática desportiva voltada a crianças e jovens com deficiência, o Festival Paralímpico.

O evento reuniu 15 mil pessoas em 70 cidades do Brasil. No Rio de Janeiro o evento aconteceu no estádio de São Januário, na zona norte da cidade. No encontro, crianças de 10 a 17 anos, com e sem deficiência, praticaram 4 modalidades paralímpicas: vôlei sentado, futebol de 7, bocha e parataekwondo.

Segundo a coordenadora do Festival Paralímpico, Lívia Prates, o objetivo do evento é: “Tirar crianças com deficiência de casa, trazer os pais para ver que seus filhos são capazes de virar atletas ou praticar alguma modalidade paralímpica, ou até mesmo adaptada”.

Para muitas crianças, o evento foi a primeira oportunidade de ter contato modalidades paralímpicas. Este é o caso de Maria Isabel, que nasceu sem a mão esquerda e que já praticava natação, mas nunca tinha lutado parataekwondo: “Achei legal, uma experiência nova”.

E para estimular ainda mais os pequenos esportistas, o festival contou com a presença de atletas paralímpicos como Diogo Rebouças, tetracampeão parapan-americano de vôlei sentado, que ficou muito feliz em participar do evento: “Para mim é uma oportunidade única, pois conseguimos mostrar a modalidade para as crianças. Desta forma podemos ter uma renovação com da seleção, de nossos clubes, de nossos campeonatos. Vou ter a oportunidade de mostrar aos pequenos que eles podem conseguir e, caso se dediquem, podem alcançar seus sonhos como eu consegui atingir meu sonho”.

Assista também no programa Stadium da TV Brasil:

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook