Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

O Pantanal precisa de mais infraestrutura e brigadistas para evitar a ampliação das queimadas na região, que já consumiram pelo menos 15% do território e mataram pelo menos metade das onças locais, além de tirarem a vida de centenas de outras espécies nativas. O alerta é do deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP), que coordena a frente parlamentar ambientalista e preside a Comissão de Meio Ambiente da Câmara.

O deputado explica que as mudanças climáticas têm provocado períodos mais prolongados de seca em todo o mundo, e essa nova realidade deveria provocar alterações no manejo de pastagens e plantações, que ainda são feitos com queimadas que deveriam ser restritas, mas acabam saindo do controle devido às condições climáticas. Para Rodrigo Agostinho, o setor agrícola deve iniciar uma rápida transição para um modelo que elimine a utilização do fogo, com mais assistência técnica e suporte tecnológico.

O congressista defende ainda a aprovação de projeto apresentado pelo próprio Poder Executivo, em 2018, que cria uma política nacional de manejo integrado do fogo, e também a discussão de diversas propostas apresentadas por parlamentares versando sobre o combate ao desmatamento e endurecimento da punição para o crime de incêndio em matas e florestas. Rodrigo Agostinho também cobra o governo federal pela redução dos recursos para o Pantanal, inclusive com cortes orçamentários quando os incêndios já estavam começando a destruir parte da região.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook