Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

No próximo dia 29, eleitores de 57 cidades terão que voltar as urnas para decidirem quem será o novo prefeito de suas cidades, 60% do total dos 95 municípios onde a possibilidade de 2º turno já era esperada. Para que haja segundo turno, o município precisa ter mais de 200 mil eleitores.

Destas 57 cidades, a eleição em duas, Duque de Caxias e Volta Redonda, dependem de uma decisão da Justiça Eleitoral, já que seus respectivos candidatos mais votados estão “sob judice”, ou seja, tiveram as candidaturas indeferidas, mas ainda recorrem.

Por causa do apagão em Amapá, a cidade de Macapá teve as eleições suspensas.

REPRESENTATIVIDADE FEMININA NA CÂMARA DO RIO DE JANEIRO

As eleições deste ano teve um número pouco expressivo de mulheres que se candidataram por motivos variados. A câmara do Estado possui 51 cadeiras, destas apenas 20% conseguiram pleitear uma cadeira na câmara, ou seja, apenas 10 foram eleitas. Entre as vitoriosas está a viúva da vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018. A mais votada foi Rosa Fernandes (PSC) com 26 mil votos, seguida da estreante Tainá de Paula (PT), que teve quase 25 mil. Monica Benício (PSOL), viúva de Marielle Franco, foi a terceira com 22 mil.

BAIXADA FLUMINENSE

Em Nova Iguaçu, Rogério Lisboa (PP) conseguiu se reeleger para mais quatro anos de mandato com  62,10% dos votos, o que equivale a 218.396 votos. Lisboa derrotou o candidato Max Lemos (PSDB), ex-prefeito do município de Queimados, que ficou em segundo lugar, com 13,86%. Já Delegado Carlos Augusto (PSD) ficou em terceiro, com 9,76%.

Já em Queimados, Glauco Kaiser (SOLIDARIEDADE) teve a preferência do eleitor e se elegeu o novo prefeito do município com 28,83% dos votos, um total de 19.010 mil votos.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook