Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, uma enorme lona circense chama a atenção de quem passa pelas redondezas do bairro Venda Velha. No local, onde anteriormente era usado com depósito de lixo, funciona um projeto que tem mudado a vida de muitas crianças, jovens e adolescentes, mas este projeto corre o risco de acabar por conta de uma decisão, aprovada na Câmara de vereadores de São João de Meriti, de vender o terreno onde está o projeto.

Por semestre, cerca de 350 alunos são atendidos ali. Entretanto o Circo Escola Benjamin de Oliveira corre o risco de acabar, se a prefeitura vender a área utilizada pelo grupo. O projeto é mantido pelo Centro de Desenvolvimento Criativo ‘Se essa rua fosse minha’, uma associação sem fins lucrativos criada em 1991 por Herbert de Souza, o Betinho. É ali que, duas vezes por semana, a estudante Eduarda Ramos, de 17 anos, recebe, gratuitamente, aulas para se profissionalizar na área, com uma bolsa-auxílio de R$ 300 mensais.

“Não imagino como seria a minha realidade se não tivéssemos essas aulas. É uma grande oportunidade para todos nós. Com tanta criminalidade, se não estivéssemos aqui, onde nós estaríamos?”, disse a aluna.

Pelo menos oito comunidades ficam localizadas no entorno da lona, apontadas pela coordenadora pedagógica Erika Glória, que cobra apoio da prefeitura. “A gente está aqui disputando essas crianças e jovens com o poder paralelo. O ganho social é todo para a cidade de São João de Meriti. Por isso, a prefeitura devia colaborar. Foi uma surpresa quando soubemos que a venda do terreno foi aprovada na Câmara. Com uma área tão grande, será que não podem nos ceder nem um pedaço?”, criticou ela.

Um outro aluno da escola,  Gabriel de Oliveira, de 20 anos, faz um apelo: “A prefeitura não investe nesse projeto. Se pudesse não tirar o pouco que a gente tem já seria de ótimo tamanho, seria uma grande ajuda. Estamos falando do último espaço de cultura social da Baixada”, diz ele, que também é músico.

Foi desta escola circense que saíram dois jovens que representaram o Brasil no concorrido Festival Internacional de Circo, em Siena, na Itália, e outros dois atuam em circos profissionais brasileiros.

Segundo o prefeito de São João de Meriti, o Dr. João Ferreira Neto (PHS), o governo local irá se comprometer em encontrar um novo local adequado para a continuação das atividades.

O

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook