Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

A abertura de restaurantes está associada ao aumento de infecções e mortes por covid-19, o oposto do uso obrigatório de máscaras. Isso, de acordo com um novo estudo dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

O relatório, publicado nesta sexta-feira, indica que as mortes por covid-19 foram 1,9 pontos percentuais menores entre 80 e 100 dias após o uso obrigatório de máscaras fora de casa ter sido ordenado, com menores reduções em prazos mais longos.

No entanto, permitir que os restaurantes atendam ao público em seus refeitórios foi associado a um aumento de três pontos percentuais na taxa de crescimento de mortalidade no mesmo período.

Os aumentos não foram significativos até 60 dias após o jantar no restaurante ser permitido. Mas o aumento nos casos foi de cerca de um ponto percentual a partir de 41 dias após a autorização, diz o estudo.

Pedidos de uso de máscaras e restrições às refeições em restaurantes podem ajudar a limitar a transmissão de COVID-19 nas comunidades e reduzir as taxas de crescimento de casos e mortes”, diz o estudo.

A investigação ocorreu com dados coletados entre 1º de março e 31 de dezembro do ano passado. Não foi feita distinção entre os restaurantes que atendem o público no interior das suas instalações ou nas esplanadas, onde os cientistas consideram que o risco de contágio é menor.

A diretora do CDC, Rochelle Walensky, disse que os dados desse novo estudo servem como um alerta sobre o levantamento prematuro dessas medidas de prevenção.

Máscaras

A maioria dos estados exige o uso de máscaras faciais; Mas nesta semana as autoridades do Texas e do Mississippi suspenderam a obrigação de seu uso e relaxaram outras medidas de proteção contra o coronavírus. Essas decisões foram amplamente criticadas pelo governo Joe Biden.

Os especialistas acreditam que, à medida que a campanha de vacinação avança, essas medidas podem ser suspensas à medida que a imunização se generalizar.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook