Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

A 2ª Mostra de Cinema Egípcio Contemporâneo, realizada pelo Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em formato online, foi prorrogada por mais uma semana, até o dia 30 de agosto.

Cada um dos 24 filmes da programação agora também ficará em cartaz por um período maior. Os títulos poderão ser assistidos em um intervalo de 24 horas, contado a partir das 17h do dia da exibição.

Serão reprisados três filmes dirigidos por mulheres: o documentário Joana d’Arc Egípcia (2016), de Iman Kamel, que discute as experiências das mulheres egípcias que derivaram da Primavera Árabe; Saída para o sol (2012), estreia da diretora Hala Lotfy, que mostra o cotidiano de duas mulheres que cuidam de um familiar doente; e Vila 69 (2013), de Ayten Amin, comédia dramática que retrata a vida de Hussein, um arquiteto em estado de saúde terminal, que tem a rotina alterada pela chegada da irmã e do neto.

Também serão reexibidos, em sessões inclusivas, dois filmes: Fotocópia (2017), de Tamer Ashry, um dos filmes mais elogiados pelo público da mostra, com audiodescrição, e O Portão de Partida (2014), de Karim Hanafy, que aborda temas como a morte e a tristeza e conta com legenda descritiva.

As exibições são gratuitas, e a programação completa está disponível no site do evento.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook