Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Dança tradicional, sorteio de brindes e muita comida típica de festa julina, como pastel de queijo e carne, churrasquinho, salsichão, salgadinho, cachorro quente, mocotó, sopa de ervilha, bolo de banana e cenoura com chocolate, milho e canjica. Tudo isso não faltou durante o arraiá do PREVINI (Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Nova Iguaçu), realizado na última sexta-feira (26).

Cerca de 100 pessoas participaram da festa, a maioria servidores municipais aposentados. Uma das novidades foi a exposição de trabalhos de artesãos da Fundação Educacional e Cultural de Nova Iguaçu (Fenig). A festa também contou com um espaço para o agendamento de exames de mamografia, teste rápido de glicose e aferição de pressão.

Agendamento de exames de mamografia, teste rápido de glicose e aferição de pressão
Agendamento de exames de mamografia, teste rápido de glicose e aferição de pressão – (Foto: Divulgação)

Estamos estreitando essa relação do aposentado com a instituição, criando um maior vínculo. O arraiá é mais uma forma de valorizar estas pessoas. Os servidores que já trabalharam na prefeitura são nosso patrimônio e merecem muito respeito. Entre aposentados e pensionistas temos 4280 servidores inativos. Este ano aposentamos cerca de 40 pessoas”, contou o presidente do PREVINI, Anderson Moreira.

Aposentada como professora do município, Maria Aparecida, de 64 anos, aproveitou todas as guloseimas da festa e depois foi aferir a pressão e checar a glicose. “Já comi salgadinho, salsichão e agora vou ficar só na água e suco, pois deixei a glicose subir para 225. Abusei um pouco, mas estava tudo tão gostoso que acabei não resistindo”, brincou.

Servidora Municipal aposentada e Artesã, Maria Quitéria Alves
Servidora Municipal aposentada e Artesã, Maria Quitéria Alves – (Foto: Divulgação)

Artesã há 9 anos, Maria Quitéria Alves, 64, que se aposentou como auxiliar administrativa no departamento pessoal da Junta do Serviço Militar, além de brincar no arraiá, ainda conseguiu vender seu artesanato durante a festa.

O artesanato era uma terapia, mas hoje é uma renda extra. Faço enfeite de porta, prendedor de cortina, artigos natalinos, puxadores de porte, entre outros. Deu para faturar no arraiá do Previni. As barracas estão variadas, com perfumes artesanais, crochê, sapatinhos e chinelos de pano. Foi bom ter esse espaço para exibir nosso trabalho”, contou.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook