Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Neste domingo, Nicolás Maduro anunciou que não haverá retorno às aulas presencial “pelo menos” até 2021. Isto foi afirmado em sua reunião semanal com sua comissão de prevenção a Covid-19.

Segundo Maduro, depois de analisar os resultados de algumas pesquisas e a situação em outros países, decidiu manter suspensas as escolas de educação presencial e ordenou a adaptação imediata do canal de TV Vive para cumprir uma função de tele-educação.

Maduro também anunciou a fundação de um “centro científico nacional de ozônio” que começará a funcionar para o desenvolvimento de um novo tratamento de ozonioterapia contra o coronavírus.

Além disso, anunciou que a partir de terça-feira, 15 de setembro, durante a semana de quarentena radical, o plano nacional de vacinação será ampliado, que inclui o esquema de prevenção contra tuberculose, hepatite B, poliomielite, pentavalente (difteria, coqueluche, tétano, hepatite B e Haemophilus influenzae), febre amarela e MMR.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook