Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Parece que uma “maldição” paira sobre o Palácio Guanabara, residência oficial dos Governadores no Estado do Rio de Janeiro. Pela 6ª vez um governador do Rio de Janeiro é alvo de investigação e escândalos relacionados à propina e desvios de dinheiro. Wilson Witzel, atual governador do Estado do Rio, foi alvo da Operação ‘Tris in Idem’ que ocasionou em seu afastamento hoje, 28, por ordem do STJ (Superior Tribunal de Justiça) por irregularidades na saúde. 

A operação foi batizada de ‘Tris in Idem’ pelo fato de Witzel ser o 3º governador a ser do estado que se utiliza de esquemas ilícitos semelhantes para obter vantagens indevidas, segundo o Ministério Público Federal (MPF) – os outros dois seriam Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão.

Todos os cinco ex-governadores, eleitos no Rio, e estão vivos já foram presos.  Com excessão de Sergio Cabral, réu confesso e já condenado, todos respondem em liberdade.

  • Sérgio Cabral (preso e condenado)
  • Pezão (em liberdade)
  • Moreira Franco (em liberdade)
  • Rosinha Garotinho (em liberdade)
  • Anthony Garotinho (em liberdade)

Veja a lista dos quatro governadores que já foram presos no Rio:

  • Moreira Franco – recorre em liberdade
  • Anthony Garotinho – recorre em liberdade
  • Rosinha Matheus – recorre em liberdade
  • Sérgio Cabral – preso desde novembro de 2016
  • Luiz Fernando Pezão – recorre em liberdade

Witzel disse que ação de hoje do Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal e Receita Federal foi uma “busca e decepção”, por não ter sido encontrado “um real, uma joia, simplesmente mais um circo sendo realizado”. De acordo com ele, a procuradora Lindôra Araújo, que apresentou a acusação contra o governador, apontado como chefe da organização criminosa que desvia recursos públicos, “está se especializando em perseguir governadores e desestabilizar os estados da federação com investigações rasas, buscas e apreensões preocupantes”.

PRESIDENTE DO PSC TAMBÉM FOI PRESO HOJE NO RIO

O Pastor Everaldo Pereira, presidente do Partido Social Cristão (PSC), foi preso após autorização do ministro Benedito Gonçalves do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A Operação Tris In Idem investiga irregularidades encontradas na área da saúde no governo fluminense. A Polícia Federal esteve na casa de Everaldo no bairro do Recreio, zona oeste do Rio, por cerca de duas horas desta sexta-feira. Ele estava sozinho em casa. De viatura, ele foi levado para sede da PF, no centro do Rio.

Pastor Everaldo foi citado na delação do ex-secretário de saúde ao Ministério Público Federal, Edmar Santos.Edmar foi preso na Operação Placebo que investiga irregulares nos contratos de hospitais de campanha no Rio. Nos bastidores, Everaldo é considerado influente no governo fluminense e foi mentor político de Wilson Witzel na eleição de 2018.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook