Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

A Prefeitura do Rio, por meio da Guarda Municipal, registrou pelas câmeras 23.210 ações contra desordens na orla da Zona Sul, em três anos e sete meses de funcionamento do Núcleo de Videopatrulhamento, que funciona no Centro de Operações (COR). Os agentes que atuam nas ruas contam com o suporte contínuo da equipe que monitora cerca de 80 câmeras redirecionadas para reproduzir imagens do calçadão e da faixa de areia, com foco na segurança de pedestres banhistas e turistas.

De janeiro de 2017 até agosto de 2020, o Núcleo de Videopatrulhamento já acompanhou 8.660 pessoas em atitude suspeita na orla da Zona Sul, e resultou na abordagem de 191 suspeitos e na prisão de 22 pessoas após flagrantes de crimes de roubo ou furto registrados pelas câmeras.

Além do foco na segurança pública, o serviço também é utilizado em ações de controle urbano e na fiscalização das posturas municipais. Ao todo, 11.938 ações de ordenamento foram realizadas desde 2017, e nesse período, os agentes fizeram a apreensão de 6.605 itens que estavam sendo vendidos por ambulantes sem autorização, além da retirada de 1.478 cães da areia, o desmonte de 442 barracas de camping e o impedimento de 1.579 práticas esportivas em local ou horário não permitido.

O trabalho realizado pelos nossos guardas tem foco na prevenção de delitos e esses números mostram que a atuação tem sido bastante efetiva. Nosso principal objetivo é evitar que os delitos aconteçam, para isso a rapidez com que a informação do núcleo chega ao guarda que está na ponta é fundamental para o sucesso da ação. Com isso, esperamos contribuir ainda mais para a manutenção da ordem nas praias da nossa cidade – afirmou o comandante da Guarda Municipal, inspetor geral José Ricardo Soares.

A pandemia do novo coronavírus alterou a rotina de trabalho dos guardas municipais que atuam no Núcleo de Vídeopatrulhamento. As escalas de trabalho foram alteradas, o espaçamento entre os agentes que atuam no monitoramento das câmeras foi aumentado, além do uso obrigatório de máscaras de proteção facial e disponibilização de álcool em gel. Como parte das medidas adotadas pela Prefeitura do Rio para prevenir a propagação da Covid-19, as câmeras passaram a auxiliar o trabalho realizado pelo Disk Aglomeração da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop), gerando 1.623 ações de fiscalização sanitária na orla.

Fizemos algumas adaptações em nosso trabalho aqui no Centro de Controle Operacional e as câmeras se tornaram grandes aliadas no combate às aglomerações na orla. Quando flagramos alguma movimentação que exija fiscalização sanitária, acionamos a unidade mais próxima para atuar no local. Essas medidas são necessárias para conter o avanço da doença em locais que já recebem regularmente grande concentração de pessoas como as praias – afirmou o diretor do Centro de Controle Operacional da Guarda Municipal, inspetor Ricardo Dias da Silva.

O Núcleo de Videopatrulhamento foi implantado em janeiro de 2017 como parte do Plano de Prevenção contra Pequenos Delitos e Arrastões nas Praias elaborado pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop). Com acesso as  811 câmeras da Prefeitura, os guardas municipais realizam monitoramento diário das praias do Leblon, Ipanema, Arpoador, Copacabana e Leme. Os flagrantes de crimes também são cedidos à Polícia Civil, para auxiliar no registro de ocorrências nas delegacias.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook