Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Tudo começou sobre uma matéria postada em alguns órgãos de imprensa. A Folha de São Paulo por exemplo, colocou no título da matéria uma frase citada pelo presidente Bolsonaro “EU NÃO DOU BOLA PARA ISSO“, essa frase fez parte do título que relaciona a fala do presidente ao desprezo pela vida do povo brasileiro, onde quiseram relacionar a mesma pelo presidente ainda não ter adquirido nenhuma das vacinas para começar processo de imunização no Brasil.

Em uma resposta em suas redes sociais, o presidente se defendeu dizendo: “Quase toda a imprensa me atacou dizendo que desprezo a vida do povo brasileiro por causa da frase: “EU NÃO DOU BOLA PARA ISSO“. O presidente Bolsonaro pediu para que assistisse ao vídeo em que ele cita a frase e se refere a preocupação em que expressa referente aos laboratórios, por não se responsabilizarem por efeitos colaterais adversos após as dosagens aplicadas.

Segundo o presidente Bolsonaro, os laboratórios devem ter sim, comprometimento em relação aos efeitos colaterais, o presidente afirmou que não é qualquer coisa que pode ser aplicada no povo, ainda afirmou que não existem pressões ao entorno da questão da vacina, Bolsonaro disse que os laboratórios deveriam ser responsáveis por tais efeitos colaterais, questionado por um repórter que relacionou a questão discutida pelo presidente a vacina do laboratório da  Pfizer, o presidente diz que o compromisso deve ser de todos os laboratórios. –

Na verdade o presidente Bolsonaro estava relacionando o “NÃO DO BOLA PARA ISSO” ao que se refere a pergunta do repórter: “O senhor acha que sofrerá pressão por começar a vacinação em outros lugares presidente?” Responde o presidente: “NÃO DOU BOLA PARA ISSO” é necessários haver responsabilidade, não aplicando qualquer coisa no povo brasileiro.

Em mais um episódio da novela das indiferenças entre os órgãos de imprensa e a presidência da república, vemos infelizmente, uma imprensa que tem um papel fundamental na vida e na construção de uma nação, se utilizando da fala do Governo para fins políticos. Erros não podem existir, muito menos, erros que possam ter sido causados pela visão política da linha editorial de uma empresa de jornalismo.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook