Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

O município de Mesquita, na Baixada Fluminense, tem passado por mudanças  significativas no governo com a atual gestão de Jorge Lúcio Ferreira Miranda, eleito em 2016. Na Câmara Municipal as mudanças foram radicais, os cargos comissionados foram reduzidos e o repasse da prefeitura para a mesma também foi reduzido de 6% para 4%, um ganho de quase 400 mil reais que estão sendo destinados para melhorias no município. A equipe do Folha Kariocas esteve na Câmara Municipal de Mesquita para melhor apurar as mudanças ocorridas no município. Fomos recebidos no gabinete do atual presidente da casa Sancler Nininho (MDB) e também pelo vice-presidente Roberto Emídio ( SD ), ambos vereadores de primeiro mandato. Em entrevista ambos falaram das mudanças ocorridas na cidade e também das pretensões para o futuro do município.

Luciana Felipe: Vereador, se apresente aos leitores e seguidores do Jornal Folha Kariocas.

Sancler Nininho: Meu nome e Sancler Nininho, tenho 37 anos, sou casado e pai de dois filhos. Sou nascido e criado em Mesquita. Fui eleito em 2016 e estou no meu primeiro mandato de vereador e sou também Presidente da Câmara de vereadores de Mesquita.

Luciana Felipe: O senhor já foi diretor da Câmara Municipal de Mesquita em 2013 e subsecretário de Governo da Prefeitura. Hoje, como presidente da Câmara, mudanças ocorreram na mesma, como iniciou o processo de mudanças na Câmara Municipal de Mesquita?

Sancler Nininho: Ganhamos as eleições e em cima disso nós  discordávamos  de algumas questões e algumas práticas  que eram feitas dentro da casa e começamos a cobrar  para ter mudanças. A mudança não vinha então nós, eu e o Roberto Emídio,  e alguns vereadores começamos a construir  um novo formato, um novo momento , uma nova conjuntura política , para que pudéssemos colocar em prática todos os ideais  que achávamos que eram pertinentes  ao nosso mandato  e a população. 

Luciana Felipe: Após a posse, qual foi o  primeiro ato em prol de uma nova gestão?

Sancler Nininho: Nosso primeiro ato quando assumirmos foi a redução do repasse  da câmara, que era de 6%,  a prefeitura passava para a câmara 6% que em valores seria em torno de 800 mil reais por mês, reduzimos para 4%  em valores cerca de 390 mil reais mensais. Com metade do dinheiro que era repassado  anteriormente  a gente consegue  deixar as contas da câmara em dia, a Patronal para dar mais segurança aos funcionários,  coisa  que nunca foi feito e nem pago, então com muito menos conseguimos realizar  e dando transparência. Colocamos o portal da transparência para funcionar, todos os nossos atos, nomeações, estão publicados no portal , reduzimos de 129 cargos para  62  cargos comissionados e de alguma forma tentamos moralizar  e fazer o que a população quer .

Luciana Felipe: Os vereadores faziam uso de uma verba, através de uma lei,  destinada aos mesmos para que pudessem fazer cursos. Atualmente esta lei não existe mais, por quê?

Sancler Nininho: Havia uma lei que beneficiava os vereadores onde os mesmos faziam viagens  para lugares paradisíacos para fazerem cursos, cada viagem tinha um custo com diária de R$ 1.900,00 (um mil e novecentos reais) para cada vereador, onde ficavam quatro ou cinco dias, um custo de quase dez mil por viagem para cada vereador. Essa diária era maior do que a do STF (Supremo Tribunal Federal). Nós acabamos com isso, colocamos em votação , acabamos com as farras das viagens, hoje não tem mais, então estamos seguindo com esse propósito tentar moralizar e de alguma forma resgatar a credibilidade da classe política  e da Câmara de Vereadores. Portanto, com apenas dois  anos de mandato tanto eu quanto o Roberto , que é o vice presidente da câmara, conseguimos  avançar muito, trazer transparência e fazer aquilo que a população quer e deseja e almeja.

Luciana Felipe: Fazer o que e certo e correto, politicamente falando, no nosso Pais e algo que não agrada a muitos, como o senhor tem lidado com essa questão?

Com tudo isso passamos a sofrer perseguição, porque entramos e cortamos na carne e acabamos com a farra do boi. Economizamos cerca de 5 milhões por ano  dos cofres públicos e esse valor está sendo devolvida para a prefeitura, com indicação legislativa feita por alguns vereadores que entenderam este momento junto conosco, para que possa ser usado na saúde , na educação , no saneamento básico, e  assim estamos fazendo.  Aqueles que não entenderem que mudou a política , que as coisa precisam ser diferentes, o destino deles temos visto o como tem sido na televisão . Nós queremos ir por este caminho, para o lado certo , enquanto eu e o Roberto  estivermos à frente da Câmara vai ser desta forma e quem não agüentar  a pressão da legalidade vai ser ultrapassado e de alguma maneira atropelado por nós porque nós estamos do lado do povo.

Luciana Felipe: Qual sua opinião quanto ao que se tem falado em relação as mudanças na política do nosso País?

Sancler Nininho: Ultimamente temos ouvido dizer sobre a velha e a nova política, este é um discurso muito evasivo porque o que se entende é  que o velho é ruim e o que é novo bom e vai resolver, eu acho que existem pessoas boas e pessoas ruins em todos os seguimentos da vida, em qualquer lugar do mundo há pessoas boas e ruins. Então  aqueles que passaram e aqueles que estão lá e são antigos tem pessoas boas, infelizmente pessoas ruins que fizeram generalizar e ter essa podridão que é o nome política, quando se fala de política a pessoa já fica meio assustada. Como os novos que entraram agora não quer dizer que são cem por cento de qualidade, muitos não estão com o intuito de fazer o que prometeram para a população. Então, não é a junção do que é velho ou do que é novo e sim a junção de pessoas boas  e de qualidade  que querem ver uma vida e um País melhor para vivermos.

Luciana Felipe: O próximo ano será um ano eleitoral e muitos estão apostando em novos nomes, será este o caminho correto?

Sancler Nininho: Se a pessoa votar com esse pensamento de que o novo vai mudar  vai só piorar, porque não é o novo e nem o velho que é bom ou que é ruim, são pessoas boas e as pessoas ruins nos lugares certos, colocar as pessoas boas nos lugares certos. Esse discurso de velho e novo está um pouco confuso na sociedade, independente se você é velho ou novo o importante é o seu caráter, a sua índole e a pessoa que você é realizar o que se compromete fazer para a população.

Luciana Felipe: A saúde e uma  pauta que  preocupa a população em todo nosso Pais. Atualmente como esta  a saúde do município?

Roberto Emídio: Tenho uma trajetória muito grande nas ruas  dando atenção a população, ouvindo e orientando. A saúde do nosso país está precária , nosso município foi herdado  da última gestão,  uma dívida de mais ou menos 200  milhões, quando o prefeito Jorge Miranda assumiu  ele conseguiu através de emendas, conduzir  a saúde de maneira que desse para atender e  dar atenção  a população. Eu e o Vereador Sancler, indo visitar os postos de saúde, as repartições da saúde,  e procurando saber como estava esta parte do município, percebemos que melhorou muito, a saúde no município está em excelência, é claro que ainda falta muita coisa, não só porque falta no município, falta no País. Mas sabemos que o município  tem muito a oferecer e vamos estar fazendo no dia a dia para a população.  Então nossa resposta é essa, a saúde não está ótima porque ainda falta muito em todo nosso País, mas no município podemos dizer que está boa.

Luciana Felipe: Estar em uma posição de liderança não e algo fácil, como tem sido estar Vice-Presidente de uma Câmara de Vereadores?

Roberto Emídio: Quando assumimos o mandato, como em toda câmara, tivemos oposições e opositores, havia um grupo de vereadores que estavam à frente, na época eu fazia parte como primeiro secretário da mesa mas  eu era minoria, pois o presidente e o vice estavam do outro lado, então eles conduziam a casa negativamente. O último presidente fez de tudo  pra que esta casa fosse destruída  e também atrapalhou o andamento do município. Quando começamos a fazer reuniões, conversamos, e procuramos o caminho conseguimos fazer o que temos feito hoje, assumimos a direção da câmara . Hoje a casa funciona com excelência, procuramos  fazer tudo o que está dentro da legalidade, buscamos melhorias não só para a casa mas também para os funcionários  e também para o governo trabalhar melhor , com mais afinco. Uma casa conduzida do jeito que estava antes além  de atrapalhar a parte interna acabava atrapalhando também a parte externa que é o governo juntamente com a população.

Luciana Felipe: Não e muito comum a população  estar presente nas sessões em uma câmara de vereadores, o senhor acha importante a participação popular nas sessões?

Roberto Emídio: A população precisa se fazer presente  nas sessões até mesmo para saber o que vem acontecendo. Não falando negativamente da última gestão da casa mas, pessoas vinham as sessões através dos últimos gestores, para fazer bagunça, fazer balbúrdia, na casa. Atualmente há um grupo de pessoas que participam das sessões para ver o que está acontecendo e o nosso grupo político aqui da casa  tem apresentado muitos projetos, está conseguindo conduzir a casa  verdadeiramente para a população e não para eles como era feito.

Luciana Felipe: Mediante o cenário político que o Brasil tem vivido o senhor acha que as próximas eleições serão diferentes?  

Roberto Emídio: A política vem mudando e a cada ano que passa e a cada eleição ela  está diferente . Sempre digo no dia a dia  nas ruas que a melhor eleição que vai ter  é a de 2020 pois a escolha será feita moderadamente, a população  está de olho, mais consciente, essa parte de política antiga ou nova  ela é demonstrada no dia a dia. Há pessoas novas na política que continuam com a cabeça da política antiga e tem pessoas antigas que estão tentando  mudar seus pensamentos. Não é fácil, há um ditado que diz que “o vício do cachimbo deixa a boca torta”, então as pessoas vêm na ganância achando que política é só eleição, aí durante um período se escondem e depois de 3 anos voltam para as ruas , isso tem que acabar, a população merece respeito, atenção.

Luciana Felipe: Há alguns candidatos que concorrem a um pleito eleitoral visando garantir uma vaga como se fosse uma disputa por emprego. Qual  sua opinião em relação a este fato?

Roberto Emídio: Se você vai para um cargo político tem que entregar a alma, se você se intitulou ser candidato você está se intitulando a “passar por momentos difíceis” , entregar sua alma para o dia a dia, se dar para aquilo e não sou a favor de política  para ter emprego, sou a favor de política por um ideal, entrar, disputar e ganhar, avançar e crescer com a política. Esse discurso de vou ser vereador, depois tento de novo e ganho, não está com nada, acho assim depois da reeleição para vereador o candidato tem que tentar outra coisa, um outro cargo para demonstrar que se quer crescer com a política e poder fazer mais e mais. Como vereador você só tem um limite, eu vejo a política desse jeito , como um ideal e não como um emprego, sou contra a qualquer um que venha candidato para ter uma vaga de emprego, tem que ser candidato para lutar, crescer e dar a população  o que é de direito, que é atenção. Ninguém é santo, ninguém vai fazer tudo mas aquela atenção básica tem que ser dada e é o que procuro fazer no dia a dia.

Luciana Felipe: Que mensagem os senhores gostariam de deixar para o povo mesquitense?

Sancler Nininho / Roberto Emídio: A mensagem que deixamos é que os munícipes possam confiar ainda mais  em nós  pois estamos sempre com eles , estamos fazendo uma gestão hoje  não para nós e sim para  a população. Temos buscado melhorar ainda mais  a condução da casa para dar o que é de direito para a população.

Para quem deseja estar presente em uma das sessões da Câmara Municipal de Mesquita, a mesma fica situada na Rua Arthur Oliveira Vechi, 260. Centro Mesquita, RJ e os dias das sessões terças e quartas às 19:00hs

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook