Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Por Marcelo Bessa

O fato aconteceu no último domingo, quando Policiais Militares do Programa Estadual de Integração na Segurança (PROEIS) e da 6ª Companhia de Maricá prenderam um homem acusado de ter assaltado e ateado fogo em uma residência no bairro Espraiado, em Maricá.Segundo informações veiculadas em algumas mídias locais, o homem – identificado como Carlos Eduardo, conhecido pelo apelido de “Banha”, foi preso após ser pego em flagrante com uma TV, fruto de roubo à tal residencia, que também havia sido incendiada, supostamente, pelo meliante.Entretanto, segundo o advogado criminalista Dr. MICHEL GOMES VINAGRE, defensor de um outro personagem inexistente nas reportagens, em entrevista gentilmente concedida a este humílde repórter, a história, embora verídica, se desenvolveu de uma outra maneira.

O suspeito, vulgo “Banha”, flagrado com o fruto do roubo, tentando se inocentar, acusou o caseiro (Gilsinho), dizendo aos policiais que o mesmo havia lhe dado a TV. Porém, após breve investigação, ficou comprovada a inocência do caseiro, pois, no instante do fato, o mesmo encontrava-se à distância de 24 km do local do crime. Assim sendo, Gilsinho, que havia sido preso, teve que ser solto.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook