Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Na tarde desta sexta-feira (24), o presidente Jair Bolsonaro contestou Sérgio Moro após o ex-juiz da Lava Jato e agora ex-ministro da Justiça e Segurança Pública anunciar sua demissão acusando o Presidente da Republica de interferência na Polícia Federal, Bolsonaro afirmou que é prerrogativa do presidente da República a indicação do diretor-geral da PF. “Se tenho autoridade para trocar o ministro, por que não trocar o diretor da PF?“, questionou Bolsonaro em discurso no Palácio do Planalto.

______________________________________________________________________________

Nunca pedi que a PF me blindasse ou a minha família

______________________________________________________________________________

Bolsonaro exonerou o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, do cargo, por consequência Sergio Moro pediu demissão.

Segundo ele, Valeixo estava “cansado e começamos a procurar substitutos para seu cargo”. “Ontem eu e Sergio Moro conversamos, só eu e ele. Eu sempre abri o coração para ele, duvido que ele tenha aberto seu coração a mim. A confiança tem dupla mão, digo isso aos meus ministros”, afirmou. Disse a ele: “Moro, não tenho informação da Polícia Federal, tenho que ter isso com 24 horas de antecedência para decidir os futuros rumos da nação”.

Será que é interferir na polícia federal exigir, quase que implorar o Sérgio Moro para que apure quem mandou matar Jair Bolsonaro?” O chefe do Executivo federal se queixou de, na avaliação dele, a Polícia Federal dar mais atenção ao assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) do que ao atentado contra ele na campanha presidencial.

Cobrei muito eles para que fosse investigado o caso do porteiro do condomínio em que moro no Rio de Janeiro, pois não estava entendendo o que o porteiro havia afirmado, a final de contas estava em Brasília, então o porteiro foi comprado, ou foi ameaçado, ou é louco? Cobrei sim, que fosse apurado um suposto envolvimento do meu filho com a filha do ex sargento preso residente em meu condomínio, primeiro fui cobrar do meu filho, depois pedi ajuda ao ex ministro para que fosse investigado, quando foram ouvir o ex sargento preso, o mesmo disse que não havia feito essa afirmação até porque sua filha mora no Estado Unidos a muitos anos. Não interferi em nada, apenas cobrei.Autonomia, de acordo com Bolsonaro, não é “soberania“.

O presidente afirmou que no início do governo deu um “voto de confiança” a Moro permitindo que ele indicasse todos os cargos, inclusive o de diretor-geral da PF, mas que se decepcionou. “Todos os cargos de confiança são de Curitiba. Me surpreendeu: será que todos os melhores quadros da PF estavam em Curitiba? Mas dei um voto de confiança”, disse.

Ele relembrou sua trajetória com o ex-juiz e lembrou até um episódio que disse tê-lo magoado, quando Moro o teria esnobado em público. “Conheci o Sergio Moro em 31 de março, no aeroporto de Brasília, e o admirava. Fui cumprimentá-lo e ele me ignorou. Era um deputado um humilde deputado, fiquei triste, não vou dizer que chorei porque não seria verdade, mas fiquei muito triste”, relembra. “E estou lutando contra o sistema, contra o establishment, coisas que aconteciam não acontecem mais por causa da minha opção de indicar os melhores ministros do Brasil”.

Como o senhor disse em sua coletiva hoje que tinha uma biografia a zelar, eu digo que tenho um Brasil a zelar. Jurei em 1973 na escola de cadetes dar a minha vida à minha pátria”, afirmou.

Agora, vamos aguardar para saber quem substituirá o eistro ou s

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook