Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

O presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou uma ordem nesta terça-feira à noite para adiar a deportação e / ou expulsão de migrantes venezuelanos que se encontrem naquele país.

Em um memorando publicado no whitehouse.gov, Trump ordenou que fossem tomadas medidas para adiar a decisão por 18 meses, desde que certas condições sejam atendidas.

Nicolás Maduro violou constantemente as liberdades soberanas que o povo venezuelano possui. Por meio da força e da fraude, o regime de Maduro é responsável pela pior crise humanitária no Hemisfério Ocidental na memória recente. Uma catastrófica crise econômica e a escassez de produtos básicos e medicamentos obrigaram cerca de cinco milhões de venezuelanos a fugir do país, muitas vezes em condições perigosas”, indica o texto.

E acrescenta: “A deterioração da situação na Venezuela (…) justifica o adiamento da expulsão dos cidadãos venezuelanos que se encontram nos Estados Unidos”.

Termos

Aqueles que:

  1. Retornaram voluntariamente à Venezuela ou ao país de sua última residência habitual fora dos Estados Unidos
  2. Não tem residido continuamente nos Estados Unidos desde 20 de janeiro de 2021
  3. Eles são inadmissíveis nos termos da seção 212 (a) (3) da Lei de Imigração e Nacionalidade (INA) (8 USC 1182 (a) (3)) ou removíveis nos termos da seção 237 (a) (4) do INA (8 ) USC 1227 (a) (4));
  4. Ter sido condenado por qualquer crime ou 2 ou mais contravenções cometidas nos Estados Unidos, ou que atendam aos critérios estabelecidos na seção 208 (b) (2) (A) do INA (8 USC 1158 (b) (2) (PARA));
  5. Eles foram deportados, excluídos ou removidos antes de 20 de janeiro de 2021;
  6. Estão sujeitos a extradição;
  7. Cuja presença nos Estados Unidos, conforme determinado pelo Secretário de Segurança Interna, não seja do interesse dos Estados Unidos ou represente um perigo para a segurança pública;

Além disso, Trump ordenou que o Secretário de Segurança Interna tomasse as medidas apropriadas para autorizar a contratação de estrangeiros cuja expulsão tenha sido adiada, “conforme previsto neste memorando, enquanto durar o referido adiamento“.

A decisão de Trump é um aceno para a comunidade venezuelana nos Estados Unidos, em sua maioria residentes da Flórida, que o apoiou durante esses quatro anos por sua beligerância contra o regime de Nicolás Maduro.

Na verdade, nesta mesma terça-feira, Washington aprovou as enésimas sanções econômicas contra Caracas, desta vez para membros de uma suposta rede cujo objetivo era comercializar o petróleo venezuelano enquanto fugia das penalidades americanas.

Desde sua chegada à Casa Branca em 2017, o governo Trump impôs inúmeras rodadas de sanções econômicas contra o Executivo Maduro, que considera “ilegítimo“.

Nos ajude a espalhar essa matéria entre seus amigos e grupos em que você participa.

Comentários no Facebook